O porquê de apostar no digital.

Resposta mais simples estamos no século XXI e o resto do planeta incluindo o gato do vizinho está lá.

Resposta mais completa, será qualquer coisa no género de um miúdo de 4 anos já tem um telemóvel ligado à internet e com a idade de 6 ou 7 anos já consegue fazer pesquisas no Google e com fortes hipóteses de que com 8 anos já sabe mexer no telemóvel melhor do que muitos adultos. Dos pequeninos aos graúdos, a bem ou a mal já todos estamos na rede.

É a verdade que todos comprovam. Via computador ou smartphone, uns mais tempo do que outros, outros mais trabalho do que lazer, mas todos por um motivo ou por outro estão ligados à internet.

Apostar no mundo digital significa dizer ao mundo duas coisas: Existimos e estamos vivos!

Esta é a primeira parte da argumentação para se info incluir no mundo digital que é estar onde estão todos os seus clientes ou potenciais clientes. Esta é uma das regras de oiro da publicidade – anunciar onde estão os seus potenciais compradores.


O que nos leva ao segundo argumento: mensurabilidade. O bom dos computadores é que têm uma memória que nunca mais a gastam… tentativa falhada de ter piada… e uma tendência por defeito a manter registos.

A parte dos registos é a que interessa para o ponto em questão – todo o gasto financeiro ou de trabalho bem como a eficácia dos mesmos para atingir os objetivos delineados pode ser vista através de números e gráficos, ou seja, pode verificar em tempo real se o seu dinheiro e trabalho estão a atingir as metas que definiu ou se estão apenas a caminhar para a frustração completa. Isto em tempo real.

Só este argumento, de que pode ver o poder do seu dinheiro em ação é o suficiente para lhe fazer repensar donde é que deveria investir em publicidade e visibilidade. Atenção que a publicidade digital por si só, na maior parte das empresas, não substitui por completo a publicidade convencional.


Terceiro argumento – Preço/trabalho. Ainda não está convencido o suficiente para abrir os cordões à bolsa por um motivo ou por outro, não há problema.

Desde que tenha tempo em mãos pode iniciar a sua presença ou presença da sua empresa on-line à borla, gratuitamente, a custo zero… bem já entendeu a ideia. Pode abrir uma página profissional no Facebook e começar a publicar em muito pouco tempo; a solução da Google para pequenas empresas também é gratuita permitindo-lhe abrir um mini-site o suficiente para aparecer em pesquisas locais, que vamos ser honestos é o que interessa a muitas microempresas.

Utilize o Instagram se o seu negócio envolver uma forte componente visual – como fotografia, cozinha ou decoração. O LinkedIn, muitas vezes esquecido, serve para conteúdo mais formal/profissional. Com tempo e dedicação pode tentar um site tipo o Wix, que lhe permite construir o seu web site gratuitamente – com algumas limitações.

Desde que tenha tempo para trabalhar e aprender as artes digitais, o custo inicial para ficar on-line e começar a anunciar para o mundo é Zero.

Para algo mais “composto” porque não dispõe de tempo ou dos recursos humanos ou quer uma maior eficácia e mais certezas profissionais existe sempre empresas como a BMMX que lhe vão ajudar a ficar ligado e a aumentar a sua exposição aos consumidores que lhe interessam – normalmente aqueles predispostos a comprar os seus produtos ou serviços 😊.

Mesmo que, opte por serviços profissionais o fator preço vai ser sempre melhor em relação aos meios de comunicação tradicionais, porque tem provas concretas da eficácia do trabalho que está a ser feito e é muito mais “simples” seguir um caminho de causa efeito para demonstrar o retorno do seu investimento.

Resumindo vai pagar por VALOR demonstrado. Mesmo que o trabalho em curso, se revele um “flop” espetacular há dados que lhe permitem parar o trabalho antes de haver mais percas. Algo que não consegue replicar, por exemplo, com um anúncio impresso.


Argumento número quatro: telefones e telemóveis. Ainda se lembra do seu primeiro telemóvel? Recorda-se por que razão começou a utilizar um telemóvel?

Talvez porque já todos à sua volta tinham um, talvez porque era mais cómoda a possibilidade de estar sempre em contacto em quase qualquer lado ou porque o número de utilizadores começou a subir exponencialmente.

São N as razões para que o telemóvel tenha vingado como dispositivo de comunicação, primeiro na voz enterrando o telefone fixo tradicional e depois nos dados, sendo atualmente responsável por cerca de 50% do tráfego de pesquisa.

Da mesma maneira que o telemóvel suplantou as comunicações fixas, também o digital suplantou o tradicional. A evolução acabou por trazer mais comodidade, rapidez, informação, eficiência e disponibilidade a todos os setores da sociedade. Uma presença sólida de qualquer empresa ou profissional no mundo digital, deveria nesta altura do campeonato ser um facto consumado.


Conhecer o cliente, o meu último argumento. Qualquer bom vendedor vai começar sempre por ouvir o cliente e tentar perceber em que é que o pode ajudar a satisfazer uma necessidade. Este é o Santo Graal de qualquer empreendedor saber de antemão as necessidades do mercado para as (poder) colmatar o melhor possível.

Não o digital não é a poção mágica que em dois cliques vai levar o seu negócio para a estratosfera, mas tem todas as condições e meios, se explorados corretamente, para conseguir entender o comportamento dos seus clientes e do mercado em que está inserido. A opinião de um consumidor é só uma opinião. A opinião de 100 consumidores é a realidade. Num mercado orientado cada vez mais para o consumidor, obter feedback que nos permita obter uma vantagem comercial vale oiro.

Espero que esta publicação lhe tenha sido útil.

Se precisar de ajuda ou tiver alguma dúvida pode falar connosco através do endereço eletrónico miguelmedeiros@bmmx.pt, através dos comentários abaixo ou via Facebook Messenger.

Se gostou do que leu, partilhar informação é espalhar conhecimento e ficamos muito agradecidos.
[wd_hustle id=”1″ type=”social_sharing”/]

Se gostou partilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *