Em 2020 quantas pessoas veem o que publica no Facebook?

Quantas vezes é que já ouviu falar em censura no Facebook? Que a rede de Mark Zuckerberg bloqueia de propósito ou não mostra à maior parte dos seguidores/amigos os posts publicados, devido a razão xpto?

É frequente ver posts ou reclamações destas, juntamente com posts à pesca de likes, geralmente os autores destes “alívios” de alma, esquecem-se de uma coisa muito importante:

O Facebook é uma empresa e como todas as empresas precisa de fazer dinheiro e não há cafés de borla neste mundo.

Para entendermos a relevância de alguns posts em relação a outros é preciso entender que a principal fonte de rendimento é o utilizador. Porquê? Porque é o utilizador que consome a publicidade que faz entrar os euros ou dólares na conta do Mark.

O que é que isto tem a ver com os posts?

Qualidade. Os utilizadores ficam colados ao Facebook porque estão constantemente a ser alimentados com conteúdo que os interessa e quanto mais conteúdo e tempo consumirem mais probabilidade vai haver de interagirem com conteúdo patrocinado.

O algoritmo mestre da rede social “tenta” perceber qual é o conteúdo que vai agradar ao utilizador, mostrando primeiro os mais prováveis e só depois os que menos pontos têm.

Como é que o algoritmo sabe o que mostrar?

Interação com as publicações:

Se um utilizador já interagiu previamente com a página é mais que provável que continue a interagir, ou seja, vai voltar a ver as suas publicações, quantas mais interações houver mais pontos ganha a publicação, aumentando a hipótese de ser mostrada a novos utilizadores.

Conteúdo de qualidade é o que deve de ter em conta quando faz alguma publicação.

Quantos mais likes num post, mais pontos esse ganha e quantos mais pontos tiver, mais utilizadores vai atingir.

Seja engraçado, inspirador, caloroso, curioso, mas acima de tudo, seja real. Mantenha o interesse do lado de lá. A melhor maneira de ser visto e de obter uma interação por parte do utilizador é tentar meter-se no lugar dele. Experimente até encontrar a combinação perfeita.

Quantas pessoas é que vão meter um like num post de uma lata de tinta com preço promocional? Família e colaboradores não contam 😊

Os utilizadores do Facebook estão à procura de entretenimento, o sucesso de uma página no Facebook depende da mistura entre entretenimento e a informação comercial que é dada aos utilizadores.

O quão recente é o post?

Quando é que foi feita a publicação? Publicações mais recentes estão na linha da frente. Quanto mais recente, maior o ranking.

Publique novo conteúdo ou atualize o existente num ritmo regular

Rede social
Image by Gordon Johnson from Pixabay

Vídeo: originalidade e comprimento.

Em maio de 2019, o Facebook revelou que o algoritmo de newsfeed favoreceria vídeos originais de alta qualidade. Vídeos que os utilizadores normalmente procuram e reproduzem mostram ao Facebook uma sensação de lealdade. Os vídeos originais ao invés de partilhados têm valor acrescido nos rankings.

Frequência.

A frequência que uma página publica pode afetar diretamente o seu valor para os seguidores. A frequência das publicações tornou-se um sinal de ranking que determina a posição dos seus posts nos feeds de notícias.

Planear antecipadamente o conteúdo das suas redes sociais permite-lhe delinear uma estratégia de conteúdo e descobrir os seus pontos fortes e os que precisam de ser melhorados

Isto vai acabar melhorar as taxas de interação, aumentando o Buzz e a lealdade para com a página e a marca – mas o seu conteúdo tem que ser relevante e oportuno, independentemente da indústria em que atue.

Os conteúdos planeados e bem pensados vão acabar por fornecer valor a si e aos seguidores da página, que são a principal preocupação do Facebook.

O Facebook é uma plataforma pay-to-play, se quiser chegar a mais potenciais utilizadores na plataforma vai ter que pagar. Afinal o Facebook vive de anúncios de empresas como a sua.

Mesmo assim vai ter que levar em consideração as dicas que dei acima – originalidade, interesse e oportunidade, a parte de pagar significa apenas que vai haver mais hipóteses de interação enquanto o anuncio estiver ativo.

Facebook é apenas uma das muitas peças de uma estratégia de marketing digital – pergunte-se se o seu público alvo está na sua maior parte no Facebook ou em outra rede social.

O Facebook, como tudo neste mundo, está continuamente a evoluir para conseguir responder às tendências e eventos sociais e conseguir manter-se relevante. Os escândalos sucessivos que abalaram a rede obrigaram a mudanças no algoritmo responsável pelo news feed. Publicações clickbait são penalizadas bem como as fake news. Está a haver uma tentativa de personalizar o feed de noticias com conteúdo deveras relavante para o utilizador, o que significa que quem necessita do Facebook para promover o seu negócio ou ideia, tem que se tornar mais criativo se quiser aumentar o numero de potenciais clientes ou ter que gastar dinheiro em publicações pagas (anúncios).

Para os consumidores, pode ser um alívio ter uma experiência mais personalizada e limpa de ruído, com mais controlo sobre o que se vê.

Não meter os ovos todos no mesmo cesto, parece ser a estratégia mais realista – uma estratégia de marketing digital tem que ter em conta a necessidade da diversificação dos canais com que vai haver interação com os utilizadores. A dependência de uma só fonte de comunicação é má – como em todas as dependências.

Hoje em dia, o Facebook está a incentivar os marketers a olharem para as suas bases de fãs como uma forma de tornar a publicidade paga mais eficaz do que usá-la como um canal de transmissão gratuito. Por isso, se quiser mesmo chegar ao seu público-alvo no Facebook, terá de complementar os seus esforços orgânicos com alguma publicidade paga.

Deve confiar no Facebook? Os anúncios pagos no Facebook valem a pena? Podem valer, especialmente se fizerem parte de uma campanha de conteúdo mais longa e podem estimular o interesse numa história que os utilizadores podem não ver de outra forma.

Seguindo a teoria do “pay to play”, faça o possível por acertar no seu alvo. Depois de ter construído uma audiência de fãs relevantes, concentre-se na publicidade dos ativos de conteúdo que conseguiu reunir – posts de blog, ebooks, etc. Use anúncios para ampliá-los aos utilizadores que são relevantes ao seu negócio.

PS: não se esqueça de olhar para as métricas.

Como sempre estamos aqui para ajudar. Deixe-nos um comentário ou entre contato para saber o que podemos fazer por si.

Se gostou do que leu, partilhar informação é espalhar conhecimento e ficamos muito agradecidos.
[wd_hustle id=”1″ type=”social_sharing”/]

Se gostou partilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *